Em sua quinta temporada, Guarde para o Dia de Chuva retorna aos palcos como musical

 

Foto: Divulgação.

Passado + presente = futuro: Guarde Para os Dias de Chuva é uma crônica de costumes urbana, centrada na discussão sobre o passado e o peso da culpa com relação a situações que ficaram mal resolvidas e que no presente resolvem voltar à tona, principalmente quando ainda se têm sentimentos em jogo, e com isso modificar de vez o futuro. Abordando temas emblemáticos como a autoaceitação, morte, adoção e HIV, o espetáculo musical escrito e dirigido por Júlio Adamanto mostra uma série de incidentes que ocorrem antes e depois de uma festa de reencontro de antigos amigos de escola.

 

Temporada: de 20/08 a 24/10.

Duração: 120 minutos.

Classificação: 12 anos.

Ingressos: R$ 80,00 (inteira) / R$ 40,00 (meia).

Espaço ao Cubo.

Rua Brigadeiro Galvão, 1010.

Barra Funda – SP.

Ingressos disponíveis em: https://bileto.sympla.com.br/event/75821/d/153856/s/1020999

 

Por: Clilton Paz.

Fonte: Carlos Augusto Rodrigues.

A atriz Maria Vitória Simões estreia no filme Bootcamp - A Disputa e ainda comemora seu aniversário no Rio de Janeiro

 

Vestido Edna Fashion - Crédito: Danilo Roberto Corte.

A atriz Maria Vitória Simões esteve no Rio de Janeiro, na pré estreia do filme “Bootcamp - A Disputa”, do cineasta e diretor Moysés Faria, junto do elenco, no cinema do Shopping Fashion Mall, no Kinoplex.

No filme, Maria Vitória vive Júlia, uma menina determinada e competidora. Aproveitando o dia, ela comemorou o seu aniversário de 15 anos, através das lentes do fotógrafo, Danilo Roberto Corte, usando um vestido de festa vermelho, da loja Edna Fashion, no centro do Rio de Janeiro.

 

Por: Clilton Paz.

Fonte: Livia Rosa Santana.

Ju Moraes estreia novo álbum evidenciando a sonoridade pop tropical

 

"Outra Onda" marca a nova fase artística da cantora e compositora baiana, que aposta em uma atmosfera sonora envolvente.

 

Foto: Divulgação.

Após deixar pistas sobre os seus novos caminhos artísticos, através dos últimos lançamentos, a cantora e compositora baiana Ju Moraes estreia o álbum "Outra Onda". Com uma sonoridade bem pop, o disco traz uma atmosfera tropical e sensual conduzindo o ouvinte a mergulhar fundo nas reflexões trazidas por Ju a partir das suas experiências. O álbum já está disponível nas plataformas de música via selo Colaboraê.

"Outra Onda" traz à tona as experiências vivenciadas por Ju Moraes. É como um disco autobiográfico onde a baiana conta a sua narrativa, a partir da vivência cotidiana. "Eu escrevo a minha história e o meu roteiro muda toda hora. Eu sou a de hoje, que fala e vive essas coisas e quero experimentar novas experiências… Eu tô vivendo outra onda e essa onda tá aqui", conta Ju na intro do disco.

O álbum, que tem a produção musical assinada por Mousik by Stefan Baby, traz um clima tropical, dançante que permeia as nove faixas do disco e tem como fio condutor de toda a obra, o amor e principalmente o auto amor, que se fazem presentes sempre nos versos, como também a suavidade da atmosfera sonora.

Além das faixas autorais, Ju Moraes também aposta em versões como a música "Gatas Extraordinárias", de Caetano Veloso, que ficou famosa na voz de Cássia Eller e que agora ganha uma nova roupagem com uma pegada mais moderna mesclando os beats com elementos orgânicos. "Outra Onda" também traz os singles "Talvez", em parceria com Gabriel Elias, e "Topa Ficar" que foram lançados no primeiro semestre.

"Eu falo de amor, claro. Mas falo de auto amor, principalmente. “Outra Onda” é um carinho em mim, são descobertas individuais. Demorei muito tempo pra ter paciência com os meus processos. Inclusive pra entender que o caminho, às vezes, é mais interessante que o objetivo".

“Desejo que esse álbum desperte sim outro olhar sobre o que faço, porque acredito que assim posso gerar uma nova experiência pra quem for curtir meu som ou meu show. Não a mesma Ju de sempre, se esperam que eu seja a mesma por mais 10 anos, não é isso que sonho pra mim. Eu também quero outras experiências, por isso estou construindo essa nova proposta. Porque esse álbum sou eu hoje, nem amanhã e nem ontem. Só o hoje!”.

 

Por: Clilton Paz.

Fonte: Ágata Cunha.