Editoria Saúde/Comportamento/Cultura

 

Dra. Cristiane Magacho fala sobre a importância da voz na sociedade.

 

A voz é a matéria prima com a qual transmitimos pensamentos e sentimentos. Por meio da voz cada pessoa constrói quem é, assim como, grande parte da vida na sociedade a que pertence. A voz é capaz de alcançar distâncias espaciais e temporais que o corpo não tem como chegar. A voz de uma pessoa reflete sua personalidade, seus pensamentos, emoções e sentimentos.



“Na área profissional, a voz expressa tudo o que na pessoa está envolvida com o trabalho que realiza: prazer ou desprazer, domínio ou insegurança em relação às tarefas e à própria escolha profissional, assertividade ou contestação, equilíbrio ou desequilíbrio emocional, senso de humor, flexibilidade ou rigidez cognitiva e emocional”, explica a fonoaudióloga Cristiane Magacho.

Nesta área, o fonoaudiólogo atua na avaliação, no diagnóstico e na reabilitação de problemas vocais, bem como com o aperfeiçoamento estético da comunicação e expressividade da voz, o canto, por exemplo. Também atua com a prevenção de patologias vocais, na perícia vocal, na assessoria, consultoria e condicionamento vocal.

Embora, seja objeto tradicional de estudos na Fonoaudiologia, a modalidade de voz cantada foi, por muitos anos, pesquisada com prioridade para a voz no canto lírico, bem como as escolas de música e canto que, historicamente, dedicaram suas atuações à música erudita. Apesar de o canto popular ser uma atividade profissional reconhecida no Brasil, e a demanda desses cantores que buscam aperfeiçoamento vocal ou tratamento para alterações já instaladas ser crescente, o investimento em pesquisas controladas com cantores populares ainda não é suficiente.

O interesse da Dra. Cristiane Magacho era estudar a voz de cantores líricos e de músicos populares, associado aos resultados dermatoglíficos desses profissionais. "E isso poderia auxiliar na prescrição dos exercícios ou no diagnóstico de alguma síndrome genética. Além de conhecer as potencialidades, o fonoaudiólogo pode aprimorar o que não está potencializado", explica Cristiane Magacho.

A dermatoglifia é o estudo científico das impressões digitais, pelo qual é possível analisar o potencial genético do indivíduo (velocidade, força, resistência e coordenação). A profissional, precursora mundial do estudo da dermatoglifia desde 2013, quando ingressou no programa de Doutorado em Linguística da PUC-SP, é especialista em Voz pela CFFA e mestre em Ciência da Motricidade Humana pela Universidade Castelo Branco.

"Além de conhecer as potencialidades, a aplicação da dermatoglifia na fonoaudiologia pode auxiliar na prescrição de técnicas e abordagens fonoaudiológicas de forma precisa, bem como a utilização de condicionamento muscular personalizado, treinamento e um melhor rendimento vocal ao profissional da voz em sua performance, redução do esforço, da fadiga vocal e sobrecarga muscular e a prevenção de lesões", finaliza a Cristiane Magacho.

Atualmente, a voz tem sido uma das ferramentas de trabalho mais utilizadas durante a pandemia, com lives, reuniões em home office, pregações, cursos online e aulas. A voz é um dos principais personagens do novo normal.

 

Instagram: instagram.com/dracristianemagacho

 

Texto: Paula Ramagem.

Foto: Divulgação.